Home

1509142_870316269712791_113291012445716087_n

Segundo o Facebook, 26 milhões de pessoas utilizaram o aplicativo para colorir a foto do perfil com o arco íris LGBT. A empresa não divulga o número de brasileiros que fizeram isso, mas é provável que quase todos essa semana se depararam com algum comentário homofóbico. E eles parecem ser sempre os mesmos.

Seguem algumas opções de respostas rápidas, para economia de tempo e sanidade:

1 – “Começa aprovando casamento gay, daqui a pouco é o casamento pedófilo”

Abusar sexualmente de crianças é crime, então é bom saber se o seu interlocutor acredita que LGBTs que transem com adultos do mesmo sexo também devam ser presos. No Brasil, a maioria responde que não, e assim a discussão pode ser rapidamente encerrada. Fica provado que, mesmo para o seu interlocutor, homossexuais não devem ser tratados como pedófilos.

2 – “Casamento é entre homem e mulher”

Informe o seu interlocutor que não somos donos da linguagem dos outros. Que casamento, para alguns, pode ser sinônimo de amor conjugal. Mas se ele não quiser chamar o casamento entre pessoas do mesmo sexo de casamento, chame do que quiser, em sua linguagem primitiva, que você observa com curiosidade antropológica.

3 – “Não há por que criminalizar a homofobia, os crimes de violência já estão previstos na lei, o que os LGBTs querem são privilégios”.

Pergunte se a lei que proíbe o racismo é um privilégio para os negros. No Brasil de hoje, a maioria responde que não, e a discussão assim se encerra. Fica provado que faz sentido também para o seu interlocutor que grupos que sofrem preconceito apenas por serem o que são em um país livre, precisam ser legalmente protegidos.

4 – “Deus disse que isso é uma abominação”

Lembre seu interlocutor que, na verdade, ele provavelmente se refere à Bíblia. Talvez a Levítico, o mesmo que diz que “escravos para nos servirem, podem ser adquiridos entre os povos circunvizinhos”. E que se ele acredita que tudo o que está na Bíblia foi escrito por Deus, deve lutar também pela volta da escravidão.

5- “Não tenho nada contra, só não quero na frente dos meus filhos pequenos”

Informe então que nos passeios com a família é bom levar sempre uma venda para as crianças. E talvez já deixar preparada uma resposta ao Conselho Tutelar.

6- “Tem coisa bem mais importante que isso. Quando fizerem um movimento contra a fome me chamem”

Informe que a causa LGBT ainda é uma questão de vida ou morte para muitos. Peça que imagine um transexual na família de um pastor fundamentalista. Informe também que movimentos contra a fome já existem e pergunte se ele espera um telegrama, um chamado divino ou uma corrente do Facebook para começar a apoiar essas causas.

7- “Pela preservação da espécie!”

Informe que mesmo que toda a população humana fosse homossexual – incluindo o seu interlocutor – a humanidade não seria extinta por isso. Já há décadas dominamos técnicas da fertilização artificial. E se ele é heterossexual apenas para preservar a espécie, faz um sacrifício desnecessário.

8 – “Filho meu não vira homossexual”
Talvez se suicide antes de saber ao certo, por não receber da família nenhum apoio

Anúncios

2 thoughts on “8 respostas rápidas para os argumentos homofóbicos mais comuns no Brasil

  1. Pingback: Como responder os 8 comentários homofóbicos mais comuns no Brasil - Pragmatismo Político

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s