Home

Imagem

Fui colocado essa semana, sem que eu soubesse, em uma votação cuja vitória me tornaria membro de um desses grupos exclusivos, uma espécie de maçonaria virtual de baixo orçamento. Como eu perdi o pleito, tudo o que eu disser agora e para sempre obviamente será – ao menos para eles – recalque. Ainda assim talvez seja importante dizer: eu desejo sinceramente que vocês se fodam.

Acredito que deveria ser crime utilizar a imagem alheia sem autorização. Apropriar-se de perfis no facebook e os expor a enormes grupos sem que o próprio dono do perfil fique sabendo. Pior, sujeitar esse indivíduo a uma votação que ele não se dispôs a participar e cuja derrota pode lhe causar humilhação e constrangimento.

Não discordo que sofrer por isso seja ridículo, mas aqui estamos falando também de idiotas, que tem todo o direito de serem idiotas e se afetarem com esse tipo de rejeição virtual. Talvez não só idiotas, mas também adolescentes, maníacos, depressivos e qualquer pessoa cuja autoimagem ainda esteja muito sensível a todo o tipo de crítica. A questão é que direito tem esse grupo de os expor dessa maneira? Um jornal impresso poderia fazer o mesmo? Parece que ainda falta bastante legislação sobre as novas mídias. Ou talvez de fato caiba um processo.

Minha caixa de mensagem encheu de condolências pela derrota e o problema maior é que não havia o que ganhar. Não considero a possibilidade de pertencer aquele grupo, de me encaixar naquele perfil. Vencer então só me faria ter que rever a imagem que eu projeto, quase como se um dia eu fosse escolhido para uma confraria neonazista. 

A comparação pode ser bastante exagerada, mas tirando as câmaras de gás e o holocausto, a ideia é a mesma. Segregar, dividir, fazer com que alguns se sintam superiores aos outros. Na página desse grupo, o texto de abertura diz que as pessoas que lá estão são as mais altas, as mais bonitas e as mais inteligentes…e que elas sabem disso. Na foto aparecem alguns membros sensualizando em trajes de banho. “Mas o importante é ter atitude, é ser nada menos que você”.

O restante do texto nos dá a certeza de que se elas forem as mais inteligentes, o mundo de fato precisa mesmo acabar. As mais altas e mais bonitas, eu já havia descoberto pessoalmente que não são. Obrigado pelas circunstâncias e pelos amigos, fui a uma festa produzida por esse grupo. Uma festa comum, cheia de pessoas comuns que eu encontro toda hora. Como em outros lugares da moda, na porta um produtor andava de um lado pro outro fazendo com que os membros do grupo furassem a fila para se sentir especiais.

Talvez muitos dos próprios fundadores nunca tenham sido VIPs em outro lugar e ao invés de ir contra a segregação e o elitismo, resolveram unir suas insignificâncias. E então passar a ter o poder de segregar. Um poder mesquinho e pequeno, aquela velha história de pisar nos outros pra tentar ficar mais alto. No caso, os mais altos, bonitos e inteligentes. Ainda que só eles saibam disso.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s